pA nudez feminina é e sempre foi alvo de estereótipos e representações controladoras. Da fiscalização no comprimento dos trajes de banho de outros tempos até os tabus em torno da amamentação, vez ou outra nos deparamos com questões que fazem a gente se perguntar se realmente estamos avançando. E é isso que a dupla de fotógrafas strongSilvana Andrade /strongestrong Juliana Rocha/strong faz na exposição strongemSoror,/em/strong que nasceu com o objetivo de desconstruir alguns códigos e representações sociais associados ao corpo das mulheres./p
pCom curadoria de strongSimone Rodrigues/strong, a mostra é parte da programação do strongFotoRio2017/strong, e traz emnudes/em clicados por mulheres com um só propósito: o empoderamento. Nada de homens registrando mulheres de maneira hipersexualizada, como na era das revistas de mulheres peladas. emPeladas/em, e não emnuas/em, como agora elas aparecem, revelando-se ainda mais poderosas e femininas na seleção que fica até o dia 26 de agosto no strongAteliê Oriente/strong. Para as lentes de Juliana, que é também emcool hunter /emdo site strongRIOetc/strong, posaram mais de 40 mulheres com diferentes profissões e idades, vestindo apenas o próprio corpo e tendo como única proteção seus próprios cabelos. As fotos são postas lado a lado com resultados de pesquisa de Silvana, que analisa as representações femininas através de apropriação de buscas no Google, em um choque de diferentes olhares./p
pAlém das fotos, projeções e vídeos, durante a temporada, a exposição ainda trará palestras e ações com artistas e pesquisadoras para dar visibilidade à arte feminista. Entre os nomes, strongClaudia Roquette-Pinto, Nana Moraes, Roberta Barros, Tatiana Henrique, DJ Bieta e Carolina Holanda/strong se encontram para discutir o cenário artístico e expor suas diferentes obras. Da colaboração entra a mulherada, inclusive, veio o nome da exposição. emSoror, /emem latim, representa a união entre mulheres, e dela veio a spanemsororidade,/em palavra já se tornou familiar para a galera que está na batalha diária por um mundo mais justo, onde homens e mulheres sejam feministas, ou seja, iguais. Dê só uma olhada na programada!/span/p
h3PROGRAMAÇÃO/h3
pstrongQuarta, 26 /strongbr /
18h às 19h30: Há arte feminista no Brasil? com Roberta Barrosbr /
strongSábado, 5/strongbr /
17h às 21h: Mulheres Veladas com Nana Moraes e Claudia Roquette-Pintobr /
strongSábado, 12/strongbr /
17h às 21h: Corpo como Arte com performances da Silvana Andrade e Tatiana Henriquebr /
strongQuarta, 16/strongbr /
18h às 19h: Nomes do Amorbr /
strongSábado, 26/strongbr /
17h às 21h: Soror e Finissage com Juliana Rocha e Silvana Andrade/p
pstrongSOROR/strongbr /
Até 26 de agostobr /
Ateliê Oriente: Rua do Russel, 300, 401, Glóriastrongbr /
/strongTel.: (21) 3495-3800/p
pO post a rel=”nofollow” href=”http://ift.tt/2tEtGum”#8216;Soror#8217;: exposição desconstrói o tabu da nudez feminina/a apareceu primeiro em a rel=”nofollow” href=”http://ift.tt/2qkBSKg”Agenda Carioca/a./p
brbr
from Agenda Carioca http://ift.tt/2tEtGumbr